Campinas, 12 de Dezembro de 2017
ALERTA: AUMENTAM OS CRIMES PATRIMONIAIS NA REGIÃO DO 4º DP
26/08/2017
Notícia publicada na edição n.112 do Jornal Alto Taquaral
Aumentar fonte Diminuir fonte

Portaria do Condomínio Spazio Della Natura permitiu entrada de assaltantes (abaixo,na foto da câmera interna), que se passaram por visitantes 


Reportagem: Rodrigo Rossi

Os crimes patrimoniais com emprego de violência ou ameaça à vida da vítima estão em alta na região do Taquaral, englobando os bairros do entorno atendidos pelo 4º Distrito Policial e 2ª Companhia da Polícia Militar.

De acordo com os dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo referentes ao primeiro semestre deste ano, houve aumento das ocorrências de crimes de roubo, homicídio e latrocínio em relação ao mesmo período do ano passado. Ao todo foram registrados 519 casos de roubo nesta região, incluindo residências, durante os seis primeiros meses desse ano. No mesmo período do ano passado ocorreram 455 casos.

 Das ocorrências registradas no primeiro semestre, 92 aconteceram apenas no mês de julho. Ainda conforme as estatísticas da polícia, casos de roubos de veículos também cresceram. Foram 292 casos no semestre contra 263 no mesmo período de 2016. Os roubos de carga foram 12 no semestre, o mesmo número registrado em todo o ano passado na região. A crise econômica e o aumento de desemprego contribuem para o cenário, na avaliação da polícia.

Segundo a delegada Denise Margarido, da Delegacia Seccional de Campinas, em períodos de crise ocorre a migração de modalidades de crime, além de novas pessoas aderindo às ações criminosas, seja pela oportunidade ou pela falta de emprego.

VIOLÊNCIA PRESENTE

Embora os números dos crimes patrimoniais não tenham aumentado de maneira expressiva, a violência das ações desperta atenção. No primeiro semestre a região foi palco de cinco homicídios e três latrocínios (quando o roubo acaba com a morte da vítima). No mesmo período de 2016, ocorreram três homicídios e apenas um latrocínio.

Ao comentar sobre as estatísticas de ocorrências na região do Taquaral, a delegada Denise informa que os casos de roubos a residência têm mobilizado as ações da Polícia Civil. “O trabalho de investigação tem identificado e prendido suspeitos de integrarem quadrilhas que atuam nesses crimes”, disse.

Ela cita uma ação de investigadores do 4º DP e da 1ª Delegacia de Investigações Gerais de Campinas (DIG), que no mês de julho, em cumprimento de mandado de busca e apreensão expedido pela 4ª Vara Criminal do Foro de Campinas, prenderam seis pessoas de uma mesma família suspeitos de atuarem no roubo a residências. Relatos das vítimas dessa quadrilha, segundo a Polícia Civil, deram conta que os indivíduos presos empregavam extrema violência nas ações, utilizando-se, inclusive, de torturas física e psicológica.

POPULAÇÃO ATENTA

O capitão Hercílio Costa, da 2ª Companhia da Polícia Militar de Campinas, informou que a PM também tem realizado operações frequentes para o enfrentamento das situações de violência na região do Taquaral e área que compreende o perímetro de ação da companhia.

Ele, no entanto, reforça para a necessidade da população se atentar aos aspectos de segurança primária a fim de melhorar a segurança individual, diante do atual momento. “Evitar ostentar objetos de valor, deixar o carro por muito tempo estacionado em um único local e reforçar a postura de segurança na entrada e saída das residências são atitudes que fazem parte de uma cultura de segurança e que podem inibir ou dificultar a ação de criminosos”, disse.

CÂMERAS NÃO INIBEM

Em agosto a Polícia Militar atuou em três casos nos bairros próximos ao Taquaral. E o detalhe é que as ações de roubo e violência na região aconteceram todas à luz do dia, inclusive, diante de câmeras de segurança patrimoniais.

Na Rua Hermatino Coelho dois indivíduos foram presos suspeitos de roubo de estepe. Eles estavam em um veículo Ford Fiesta perseguido pela PM após furto realizado nas imediações. No entanto, apenas um dos criminosos continua preso. O outro acabou em liberdade após pagamento de fiança estipulada pela Justiça em posterior audiência de custódia.

MUITA OUSADIA

Ainda em agosto, uma dupla de assaltantes assustou moradores do condomí nio Spazio Della Natura e vizinhos, após entrarem no local pela portaria, fazendo se passar por hóspedes de moradores. Dentro do condomínio subiram pelas escadas e tentaram o arrombamento de uma unidade.

A PM foi acionada e fez cerco no local. Houve o temor de que os bandidos pudessem ter se escondido nos condomínios vizinhos. Após verificação de todo o local foi constatado que a dupla havia fugido. A investigação da polícia busca identificar os suspeitos pelas imagens da câmera de segurança.

Outro caso que ilustra bem a ousadia dos ladrões aconteceu na esquina das ruas Santa Maria Rosseto e Aglair Buratto Vilas Boas, no bairro Mansões Santo Antonio. As câmeras de segurança de um condomínio flagraram um veículo preto da marca Volkswagen Polo, rondando a área. Quando parou, um homem desceu e, em plena luz do dia, arrombou o porta malas de dois veículos estacionados, furtando os pertences e fugindo em seguida. O caso aconteceu a poucos metros do condomínio invadido pela dupla de ladrões, quatro dias depois.

VIZINHOS ATENTOS

O capitão Hercílio Costa da 2ª Companhia da Polícia Militar de Campinas ressaltou o trabalho realizado na região do Taquaral com o programa Vizinhança Solidária, que busca por meio da prevenção primária melhorar a segurança pública local. “Apesar dos crimes de roubo serem mais específicos, mantemos atualmente 17 núcleos do programa nos bairros englobados pela região do Taquaral. Nesses locais estamos tendo uma resposta bastante positiva. Incentivamos a vizinhança a adotar medidas preventivas e colaborar com o policiamento”, disse.

 

 

 

  Última edição  
  Edição 115 - 25/11/2017 - Clique para ler  
© 2017 - Jornal Alto Taquaral - CG Propaganda