Campinas, 25 de Junho de 2017
MORADORES QUEREM MUDANÇAS NO PLANO DIRETOR
29/05/2017
Notícia publicada na edição n.109 do Jornal Alto Taquaral
Aumentar fonte Diminuir fonte



Mapas apresentados pela Secretaraui do Planejamento durante reunião do dia 14/05 na Regionnal 3

   
    Moradores do Taquaral e região se reunem para anlaisar proprosta da Pefeitura para o PD


PLANO DIRETOR PROPONDO VERTICALIZAÇÃO E AUMENTO DA ÁREA URBANA É CRITICADO

Povo quer Campinas para o povo

NO TAQUARAL: MAIS TRÂNSITO E ADENSAMENTO

O Plano Diretor de Campinas será encaminhado à Câmara Municipal até o dia 15 de julho. A minuta de lei e alguns mapas com as alterações propostas pela Prefeitura já estão disponíveis e até o dia 5 de junho moradores, entidades e representantes da sociedade civil podem fazer críticas e sugestões às propostas de mobilidade, planos viários, zoneamento, questões ambientais e outros itens. O caminho é: https://planodiretor.campinas.sp.gov.br/

Reuniões realizadas durante o mês de maio geraram documentos que serão protocolados na Prefeitura e no Ministério Público, onde os moradores se posicionam contra a proposta de verticalização dos bairros Taquaral, Chácaras Primavera e adjacências. Eles apontam os atuais conflitos de trânsito já existentes e indicam opções para evitar a criação de novos pontos de tensão. além da preocupação com a a proposta de avanço da zona urbana sobre a rural

VERTICALIZAÇÃO NAS AVENIDAS

Na região, as avenidas propostas para liberar a construção de prédios de 20 m de altura (cerca de sete pavimentos) e se tornarem corredores de ônibus, são: Av. Almeida Garret (começando no entroncamento com a Carolina Florence, acessando as ruas Hortênsias e Girassol para chegar à Av. Guilherme Campos), as laterais da Rod. Miguel Noel Nascentes Burnier (Ruas Luiz Otávio e Bento de Arruda Camargo), Rua Luiza de Gusmão (Jd. Santana) e Av. Carlos Grimaldi (que dá acesso ao Galleria).

As associações de Moradores do Parque Taquaral e Chácaras Primavera já se manifestaram contrários ao adensamento da Almeida Garret. Essa proposta para a região do Alto Taquaral envolve mais verticalização – com consequente adensamento e trânsito – e os moradores dos bairros do entorno querem evitar ações que podem deteriorar a qualidade de vida local. O Plano Diretor é orientado pelo DOT – Desenvolvimento Orientado pelo Transporte - um conceito que vincula o uso e ocupação do território com os pontos de mobilidade.

ALTERAÇÕES VIÁRIAS NO MANSÕES

Algumas propostas de mudanças viárias no bairro Mansões Santo Antônio foram consideradas boas, mas outras causam espanto. Um dos pontos positivos, segundo Ricardo Cohen – ex-presidente da Associação de Moradores do Santa Cândida – é a previsão de construção de pontes sobre o Córrego das Cobras ligando os bairros Mansões e Santa Cândida pelas ruas Arquiteto José Augusto Silva e Alessandro Payaro.

Mas o planejamento não prevê o alargamento e a utilização da Rua Arq. José Augusto Silva como um corredor binário à Rua Lauro Vanucci, o que é solicitado pelos moradores. É previsto no Plano o alargamento das Ruas Adelino Martins e João Vedovelo, como forma de permitir maior fluxo de trânsito, mas não há indicação de alargar também a ligação entre as duas ruas, o que está na lista da população.

ABERTURA NO PARQUE DA FLORES

A abertura da Rua Egle Belintani para acessar a Av. Guilherme Campos por dentro do Parque das Flores é outra mudança considerada como certa pela Prefeitura, apesar de uma ação judicial impedir a derrubada do muro que cerca o bairro.  Esse novo viário ligaria até o trecho previsto para alargamento e pavimentação nas ruas José de Freitas Amorim e na Clovis Teixeira, no Santa Cândida, passando pela Max Kalfman. A proposta abrange ainda a expansão da Rua Armando Strazzacappa no trecho precariamente implantado e abertura da totalidade da Rua Santa Maria Rosello (no ParqUe das Flores) para circulação pública.

Dos  moradores de Barão Geraldo

CARTA ABERTA

Sobre o projeto de Plano Diretor e o Distrito de Barão Geraldo

Nós, moradores de Barão Geraldo e apoiadores, representados por associações de moradores, comunidade acadêmica, movimentos sociais, produtores culturais e artistas, entre outros segmentos, e aqueles que subscrevem a Petição no link: https://www.sustentacidade.minhacampinas.org.br/, preocupados com a sustentabilidade da cidade de Campinas e com a qualidade de vida, e em especial no Distrito, a partir de reunião publicamente convocada, manifestamos nossa REJEIÇÃO CATEGÓRICA ao projeto de Plano Diretor apresentado pela Prefeitura nos dias 5 e 13 de maio de 2017.

Denunciamos a atitude desrespeitosa e antidemocrática do Secretário Municipal de Planejamento e Urbanismo Carlos Santoro, que sonegou o diálogo e se retirou com espalhafato de nossa reunião devolutiva do dia 5/5, sem apresentar a devolutiva das proposições já submetidas e negando-se a esclarecer as dúvidas dos moradores. Tal conduta traduz a vergonha de uma proposta que desrespeita as demandas da população, documentadas e reiteradas durante todo o processo consultivo do Plano Diretor e sublinhadas por protesto popular em via pública ainda em 2015, que se articulam nos três eixos:

1. NÃO ao aumento da verticalização.

2. NÃO ao aumento do perímetro urbano.

3. SIM à preservação de áreas verdes e criação do PARQUE DE BARÃO GERALDO.

Desejamos estender a toda Campinas um futuro sustentável com qualidade de vida, direito à moradia e à cidade, enquanto o projeto atual acentua a tendência contrária. Estamos à disposição da imprensa, de entidades de classe e da sociedade em geral para pormenorizar nossas posições:

MA Guará – Associação dos Moradores e Amigos do Bairro Guará:  AMPROVIC - Village Campinas:  Barão Para Crianças:  Campinas Que Queremos:  Coletivo Cidadão Barão Geraldo:  Coletivo Roda Mundo:  Fórum Cidadão pelo Plano Diretor Participativo; Instituto Sociocultural Voz Ativa: Minha Campinas: Movimento Pró-Parque de Barão Geraldo: Movimento Resgate Cambuí; Movimento Sonha Barão: OSCIP Plantando Paz na Terra: Próbairro: Proesp - Sociedade Protetora das Espécies: SE LIGA BARÃO; SOS Campinas, Barão Geraldo Presente.

Dos produtores rurais

CARTA ABERTA

A partir de reuniões e conversas com moradores e produtores rurais, moradores das áreas urbanas, técnicos profissionais e pesquisadores das mais diversas áreas do conhecimento, este Fórum Cidadão pelo Desenvolvimento Rural Sustentável de Campinas elaborou uma Carta Aberta sobre a importância das áreas rurais no Município e suas implicações sobre o atual Plano Diretor em elaboração. Também elaboramos um Documento com Propostas que consideramos importantes para que constem no planejamento da cidade para os próximos 10 anos. Em resumo, as Propostas são:

1. Não expansão do perímetro urbano;

2. Condições adequadas das infraestruturas rurais;

3. Regramento do uso do solo em áreas rurais;

4. Criação de uma Secretaria Municipal de Agricultura e Desenvolvimento Rural Sustentável;

5. Recomposição participativa do Conselho de Desenvolvimento Rural (hoje inativo);

6. Elaboração periódica do Plano Municipal de Desenvolvimento Rural;

7. Criação de um Fundo de Desenvolvimento Rural.

Através deste abaixo-assinado, endossamos a Carta e as Propostas pela preservação da Zona Rural de Campinas. Os dados fornecidos são sigilosos e serão utilizados apenas com o propósito de validação das assinaturas. Mais informações podem ser encontradas em: www.planorural.wordpress.com

Os documentos podem ser acessados integralmente em:

CARTA ABERTA   https://planorural.files.wordpress.com/2017/04/forumpdrural_cartaaberta.pdf

PROPOSTAS        https://planorural.files.wordpress.com/2017/04/forumpdrural_propostas.pdf

 

  Última edição  
  Edição 109 - 27/05/2017 - Clique para ler  
© 2017 - Jornal Alto Taquaral - CG Propaganda