Campinas, 15 de Outubro de 2021
BOTÂNICO NO CULTO
23/09/2021
Aumentar fonte Diminuir fonte

 
JARDIM BOTÂNICO VAÍ AO CULTO À CIÊNCIA

A beleza só tem sentido se for compartilhada. O conhecimento também. Essa é a ideia da exposição itinerante que chegou esta semana no Colégio Culto a Ciência e tem despertado a curiosidade e surpreendido estudantes de diferentes idades. São 20 painéis com fotos de detalhes de árvores do Jardim Botânico do Instituto Agronômico de Campinas, captadas pelo olhar sensível da fotógrafa Josiane Giacomini. Os grandes painéis coloridos são acompanhados por sementes, frutos, cascas, cachos secos e outras preciosidades cuidadosamente recolhidas no mesmo local. É uma aula sobre a natureza e sua relação com a humanidade, que já percorreu 20 escolas de Campinas e está sendo retomada agora, após dois anos suspensa por conta da pandemia.

A Associação Amigos do Jardim Botânico do IAC é responsável pela organização da exposição itinerante. As fotos foram feitas há dez anos, em parceria entre Instituto Agronômico e o portal Terra da Gente. “É bom revisitar esse olhar, fazer outras leituras, mas a exposição continua atual e importante principalmente para despertar a admiração das crianças e adolescentes, num momento em que esse país tem sua natureza tão desrespeitada”, comentou a fotógrafa na abertura da exposição. Ela se encanta como a curiosidade das crianças é instigada pelo material disponível, como as sementes e galhos que eles apalpam, cheiram e conferem em cada detalhe.

A atenção dos alunos é estimulada pelas cores e formas que expressam a riqueza do ambiente, pouco conhecida e admirada em meio à vida urbana. Mas também pelas histórias contadas de maneira muito especial pelo técnico agrícola Francisco Assis Leitão de Moraes, funcionário do Instituto Agronômico e um dos fundadores da Associação. Ele mostra, por exemplo, a planta que produz a noz-de-cola (que tem o nome africano de Obi), de onde é extraída a base que dá origem à coca-cola. Os alunos se surpreendem, não tinham ideia de que vinha de uma árvore.


Outra história que ele conta e sempre provoca risos nos alunos, começa ao mostrar a maçã-de-elefante– o fruto de uma espécie da Índia cujo nome científico é Dillenia indica – com uma pequena moeda inserida em sua polpa. Diz a lenda que a planta ficou conhecida como a árvore-das-patacas durante a colonização da índia pelos ingleses. Os indianos acharam uma forma inusitada de enganar os ingleses e inseriam uma pataca (moeda) na polpa do fruto ainda pequeno e, quando ele estava grande e maduro, mostravam aos colonizadores como se fosse uma produção de moedas. Entusiasmados, os ingleses compravam mudas da árvore acreditando que seus frutos nasceriam com as patacas.

Entre uma curiosidade outra, o conhecimento cresce e os alunos criam consciência e aprendem a respeitar a natureza. O diretor do Colégio Culto à Ciência, Glauber Maldonado, comenta que além de trazer uma atividade diferenciada para a escola, a exposição possibilita um conhecimento prático. “O ensino contextualizado é muito importante e nos traz outras vivências”, afirma. A exposição fica na escola até o final de setembro, período em que todas as turmas passarão pelo espaço com seus professores.

Aluna mostra personagem do Stranger Things adornado com flor igual a da exposição 

 
  Última edição  
  Edição 149 - 01/10/2021 - Clique para ler  
© 2021 - Jornal Alto Taquaral - CG Propaganda