Campinas, 22 de Abril de 2021
EDIÇÃO ESPECIAL
08/03/2021
Aumentar fonte Diminuir fonte
 
 
MULHERES    E    NOTICIAS    EM    11    PAÍSES 
Meera Selva  e Dra. Simge Andı - Segunda-feira, 21 de dezembro de 2020 

Em março de 2020, conforme a COVID-19 se espalhava pelo mundo e os líderes políticos começavam a perceber que uma resposta imediata à pandemia envolveria sacrifícios pessoais e ação pública, políticos e seus diretores de políticas públicas de saúde levaram a estádios, púlpitos e câmeras para falar sobre a necessidade de ficar em casa, fechar escolas e creches, racionar o acesso a mercearias e serviços de saúde.
Os homens, e geralmente eram homens, falavam de coesão social e da necessidade de agir de maneira altruísta e responsável. As mulheres, e geralmente eram mulheres, que assumiam o maior fardo nas tarefas domésticas, no cuidado dos filhos e na responsabilidade pelos pais idosos, suspiraram, respiraram fundo e começaram a trabalhar.
 
As notícias existem no contexto do público (Fletcher e Nielsen 2017a) e, este ano, o público viveu as convulsões sociais do ano de forma muito diferente e teve as suas preocupações abordadas de forma muito diferente. Mas em um ano cheio de mudanças, a sub-representação das mulheres em muitas das notícias não é uma das coisas que mudou.
O olhar abrangente de Luba Kassova sobre as mulheres na mídia durante a crise do COVID-19 destaca como a mídia em grande parte do mundo falhou com as mulheres no conteúdo que produz (Kassova 2020). Seu relatório documenta até que ponto as vozes das mulheres estão faltando na cobertura da crise pela mídia, mesmo quando as mulheres sentem mais duramente o impacto da pandemia e os bloqueios e restrições associados.

LEIA EDIÇÃO  COMPLETA EM PDF EM 
www.jornalaltotaquaral.com.br

E ESTUDO COMPRETO EM 
https://reutersinstitute.politics.ox.ac.uk/
 
 
 
What do you want to do ?
New mail
  Última edição  
  Edição 143 - 27/03/2021 - Clique para ler  
© 2021 - Jornal Alto Taquaral - CG Propaganda