Campinas, 19 de Julho de 2018
ECOLIFE, NIMESULIDA, JUSTIÇA! - Editorial JAT 110
01/07/2017
Aumentar fonte Diminuir fonte

EDITORIAL: 

ECOLIFE

A notícia do arremate em leilão do terreno onde seria erguido o condomínio Ecolife pela construtora Ellegance, por R$ 1.510.000,00 colou uma pulga atrás da orelha dos moradores da região e responsáveis pelo embargo da obra.

Acontece que na proposta do Plano Diretor apresentada pela Prefeitura, a Av. Almeida Garret - onde fica o terreno - está incluida entre as viais onde se pretende permitir a verticalização.

Se o Plano Diretor for aprovado com esta característica, o atual proprietário poderia reerguer o prédio no local? Esta é a pulga colocada atrás da orelha dos moradores que lutaram muito para evitar a construção. O comprador já estaria infomado da proposta de alteração na via onde está o imóvel?

Em reuniões dos moradores do Taquaral e bairros limitrofes a posição é de evitar a verticalização em algumas vias propostas pela Prefeitura, como no caso específico da Av. Almeida Garret.

Os problemas consequentes de tal medida foram apontados em mapas e relatórios encaminhados virtualmente à Prefeitura e parte dele deverá ser encaminhada ao MP - Ministério Público como forma de garantir os interesses da população local.

Resta esperar a conclusão do processo de encaminhamento do Plano Diretor para depois então buscar outras formas de impedir  a verticalização em vias que os moradores discordam da aplicação desta medida.

NIMESULIDA

O Procon considera preço de promoção do remédio aplicado pela Farmácia do Walmart e, ingenuamente, apontou em pesquisa diferença de 886% entre o mais barato e o mais caro.

A JUSTIÇA SE IMPÔS

“Ante o exposto REJEITO A QUEIXA-CRIME contra propriedade industrial, ajuizada por Eliane Perez de Miranda Saboto (Folha do Taquaral) contra Maria Cibele V. Gonçalves e Gilberto Gonçalves, (Jornal Alto Taquaral) o que faço com o fulcro no disposto no art. 395, II do CPP e, por conseguinte JULGO EXTINTAS SUAS PUNIBILIDADES, com fundamento no art. 107,  IV do CPP.”  A decisão é da Juiza de Direito Dra. Erika Fernandes Fortes da 1a. Vara Criminal de Campinas

  Última edição  
  Edição 121 - 26/05/2018 - Clique para ler  
© 2018 - Jornal Alto Taquaral - CG Propaganda