Campinas, 25 de Junho de 2017
MAIO AMARELO PODIA SER VERMELHO
29/05/2017
Notícia publicada na edição n.109 do Jornal Alto Taquaral
Aumentar fonte Diminuir fonte



Onibus da linha 171 chegando ao ponto na Av. Heitor Penteado onde morreu a idosa ano passado


Capas da edies mostrando os atropelamentos na regio de cobertura do jornal


T l um corpo estendido no cho...
EM 2016 MORRERAM 74 PESSOAS NO TRNSITO DE CAMPINAS. 19 POR NIBUS!

Como no se assustar com estes nmeros? Os nibus em Campinas esto matando muito mais gente em comparao ao total da frota que circula na cidade. Os dados esto no Caderno de Acidentalidade no Trnsito em Campinas - 2016 disponvel no site da Emdec: http://www.emdec.com.br/eficiente/sites/portalemdec/pt-br/site.php?secao=Acidentalidade

Os nibus integram a frota campineira com apenas 0,6% do total de 902.306 veculos (conforme dados da Emdec), ou seja, cerca de 5.500 nibus que se envolveram em 19 acidentes fatais, sendo 14 atropelamentos e, neste caso, contra 4 veculos no informados; 1 caminho; 4 motos e 11 automveis. Assim os nibus, que no chegam a 1% da frota, so reponsveis por 1/4 dos atropelamentos fatais.

No caderno da Emdec no h nmeros identificando a frota de motos, mas o IBGE aponta um total de 108.206 motos circulando na cidade no ano de 2015, considerando que a Emdec aponta um crescimento de 0,9% no total da frota da cidade hoje teramos cerca de 120.000 motos em circulao, ou seja, 10% aproximadamente em relao frota total.

Este contingente foi responsvel por quase 50% do total de mortes no trnsito de Campinas em 2016, com 36 do total de 74 o que faz com que o relatrio da Emdec focalize a questo das motos no trnsito.

Mas clculos matemticos apontam uma discrepncia muito grande dos nibus envolvidos em relao s motos que mais preocupam os tcnicos da Emdec e da frota total. Assim temos que os 5.500 ninus que mataram 19 pessoas tem ndice percentual de 0,345%; as motos, 120.000 mesmo com os 36 mortos tem ndice percentual de 0,03% e a frota total de 902.306 veculos, com o s 74 mortos tem ndice de 0,008%. Isto mostra que a preocupao dos tcnicos da Emdec deveria voltar o foco do problema para os nibus.

O relatrio da Emdec no levou em considerao a questo dos motorista sob efeito de lcool ou drogas nestes acidentes levando a considerar que ou os motorista no foram submetidos ao bafometro ou exame ou estes daso no so importnte para a Emdec na elaborao do relatrio.

DUPLA FUNO

De acordo com MPT, cobrana de passagem sem cobrador perigosa e prejudicial sade. Empresas dizem que tomam providncias e estranham forma da ao.

O MPT – O Ministrio Pblico do Trabalho de Campinas, no interior de So Paulo informou nesta quinta-feira, 18 de maio de 2017, que ingressou com uma ao civil pblica contra as empresas de nibus VB Transportes e Turismo Ltda., Onicamp Transporte Coletivo Ltda., Expresso Campibus Ltda., Itaja Transportes Coletivos Ltda., Coletivos Pdova Ltda., Consrcio Cidade Campinas Ltda. (composto pelas empresas Expresso Campibus Ltda. e Itaja Transportes Coletivos Ltda.) e Consrcio Urbcamp (composto pelas empresas VB Transportes e Turismo Ltda – antiga Viao Bonativa – e Coletivos Pdova Ltda), pedindo ao judicirio trabalhista que as condene a no permitir que motoristas de nibus acumulem a funo de “desempenhar atividades de comercializao de passagens, cobrana de tarifas ou similar”, independente do veculo estar parado ou em movimento, ou da cobrana ser feita dentro ou fora dos veculos. O MPT tambm pede para que cada uma das cinco empresas pague o valor mnimo de R$ 1 milho, como indenizao pela leso aos direitos difusos dos trabalhadores. A ao ser apreciada pelo juzo da 9 Vara do Trabalho de Campinas.

Em nota, o procurador Silvio Beltramelli Neto, diz que a dupla funo na qual o motorista dirige cobra passagem ao mesmo tempo perigosa

“O Ministrio Pblico do Trabalho no reivindica a eliminao da cobrana de taxas de embarque com pagamento em moeda, mas da ilegal e perigosa acumulao de funo” – disse.

O Ministrio Pblico do Trabalho informou que desde em outubro de 2015, fez diligncias nas empresas e constatou a realizao de pagamento em dinheiro dentro dos veculos.

Em fevereiro de 2016, as empresas propuseram medidas para reduzir a circulao da moeda nos nibus, no entanto, a prtica continuou. Ainda de acordo com o MPT, em dezembro de 2016, as empresas admitiram que no tinham condies de implantar naquele momento solues tecnolgicas para a eliminao do pagamento em dinheiro.

As negociaes perduraram at abril de 2017, mas as contrapropostas das empresas, com alteraes substanciais no propsito do acordo, no foram consideradas razoveis e pertinentes pelos procuradores, culminando na judicializao do caso.

“A prtica dos rus de se utilizarem de empregados motoristas de nibus para exercerem tambm a funo de cobradores viola uma srie de dispositivos do ordenamento jurdico. Ao mesmo tempo que no atende necessidade de sade e segurana dos motoristas e usurios de nibus, desrespeita o Cdigo Brasileiro de Trnsito e o Cdigo de Defesa do Consumidor, assim como prejudica a prestao do servio de transporte coletivo urbano”, diz Beltramelli, na nota.

Ainda na nota, o MPT informa que na ao sustenta que a dupla funo prejudica a sade do trabalhador.

O procurador se apoia em artigos da Constituio Federal que tratam do direito do cidado sade e valorizao do trabalho humano, em convenes internacionais (como as de n 155 e 161, da OIT) e em artigos da Consolidao das Leis do Trabalho que garantem a higidez no ambiente de trabalho, alm da legislao que impede que haja riscos segurana e sade do usurio de transporte pblico (Cdigo de Defesa do Consumidor), e que garante a segurana dos cidados no trnsito (Cdigo Brasileiro de Trnsito).

O MPT apresentou na ao estudos cientficos que reconhecem a relao entre a existncia de doenas psicossomticas e a precarizao do meio ambiente de trabalho de motoristas, sobretudo pela presso sofrida pelo trabalhador, realizado por instituies de renome, como a UFRJ.

MAIO AMARELO

Emdec lanou campanha ‘T l o corpo estendido no cho’, com Silhuetas de corpos pintadas em 38 locais onde houve acidentes de trnsito fatais. Ao integra o Maio Amarelo.

A Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) realizou uma srie de aes de educao para a mobilidade neste ms, quando ocorre o Maio Amarelo – “Ateno pela Vida” (www.maioamarelo.com).

O rgo participa novamente do movimento, criado em 2014 pelo Observatrio Nacional de Segurana Viria (www.onsv.org.br), em apoio Dcada de Ao pela Segurana no Trnsito 2011-2020 da Organizao das Naes Unidas (ONU), lanada em maio de 2011. Os dados da ONU apontam que os acidentes de trnsito so a nona causa de mortes no mundo, alm dos aproximadamente 20 a 50 milhes de feridos anuais.

Na segunda-feira, dia 15 de maio, foi concluda a campanha “T l o corpo estendido no cho”, que pintou silhuetas de corpos em 38 locais onde houve acidentes de trnsito fatais, especialmente atropelamentos, para alertar os usurios das vias, exceto na Avenida Heitor Penteado. onde um nibus d alinan 171 atropelou uma idosa.

Esses pontos foram escolhidos com base nas estatsticas de ocorrncias de trnsito no municpio em 2016, quando Campinas registrou 74 vtimas fatais, sendo 36 (48,6%) ocupantes de motocicletas, 24 (32,4%) pedestres e 14 (18,9%) ocupantes dos demais veculos. A Emdec divulgou o Caderno de Acidentalidade 2016 na sexta-feira, dia 5. O balano est disponvel em pdf no endereo eletrnico www.emdec.com.br na pgina inicial, em “Cadernos de Acidentalidade”.

Alm da silhueta pintada no solo, os 38 locais receberam um banner impresso que contextualiza a campanha, com o tema deste ano do Maio Amarelo – “Minha escolha faz a diferena” – e textos como “O corpo estendido no cho sinaliza uma vtima fatal no trnsito em 2016. Repense suas atitudes. Seja responsvel, no se arrisque!”.

At o final da campanha, as seguintes vias tivedram silhuetas pintadas: Avenida Anchieta, Avenida Comendador Aladino Selmi, Avenidas das Amoreiras, Avenida Dr. Antnio Carlos Couto de Barros, Avenida Dr. Heitor Penteado, Avenida John Boyd Dunlop, Avenida Jos Pacheco, Avenida Monsenhor Joo Batista Martins Ladeira, Avenida Papa Joo Paulo II, Avenida Prestes Maia, Avenida Princesa D’Oeste, Avenida Ruy Rodriguez, Estrada Mo Branca, Rua Dr. Antnio Duarte da Conceio, Rua Antnio Exel, Rua Benjamin Moloise, Rua Carolina Florence, Rua General Osrio, Rua Hlio Pinto Ferreira, Rua Helosa Prato Galbiatti, Rua Jos Pugliesi Filho, Rua Juvenal de Oliveira, Rua Lercio de Oliveira, Rua Magido Antnio Furtado, Rua Olintho Lunardi, Rua Ren Descartes, Rua Sylvia da Silva Braga e Rodovia Dr. Heitor Penteado (SP-81).

No perodo de 14 a 20 a Emdec realizou diversas atividades relacionada ao trnsito em Campinas. Nosbabdo dia 20 foi montado no varejo da Centrais de Abastecimento de Campinas (Ceasa) um minicircuito de trnsito (simulao de ruas, ciclovias e caladas com sinalizao), para orientar pais / responsveis e crianas sobre segurana viria.

CAMPANHA DO DETRAN

#FocaNoTrnsito: O Detran.SP promove aes educativas em Campinas e a iniciativa faz parte do Maio Amarelo e contou com parceria da prefeitura.

A Campanha #FocaNoTrnsito diz que como o trnsito exige 100% de ateno, no por acaso o mascote da campanha do Detran.SP em parceria com o Movimento Paulista de Segurana no Trnsito uma foca, porque quem #FocaNoTrnsito vai em segurana. A ao, desenvolvida em diversas cidades do Estado, conta com imagens do animal em vrias situaes no trfego. Alm disso, ”homens-foca” circulam por vrios espaos pblicos e privados.

“O objetivo da campanha , de forma bem-humorada, convidar os cidados a adotar uma postura mais segura para reduzirmos o nmero de acidentes e mortes. O trnsito no feito de veculos, e sim de vidas, que viram estatsticas na maioria das vezes por causa de falhas humanas”, alerta Maxwell.

“O ser humano no deve ser o problema, mas a soluo. Juntos, podemos tornar nossas ruas e estradas mais humanas e seguras”, diz Silvia Lisboa, coordenadora do Movimento Paulista de Segurana no Trnsito.

Na maior parte das vezes, essas falhas podem ser corrigidas com atitudes muito simples: usar sempre o cinto de segurana, inclusive no banco de trs; nunca dirigir depois de beber; respeitar os limites de velocidade e no usar o celular enquanto voc estiver ao volante ou atravessando a rua. Por semana, cada um desses temas ser trabalhado — na primeira semana foi a vez do cinto. As aes estaro reunidas no site www.focanotransito.com.br.

LEVANTAMENTO DA OMS

De acordo com levantamento realizado pela Organizao Mundial de Sade (OMS), no ltimo ano, o Brasil foi o quarto pas com maior taxa de mortes no trnsito no continente americano, com 23,4 mortes para cada 100 mil habitantes, ficando atrs apenas de Belize, Repblica Dominicana e Venezuela.

Muitas podem ser as causas do alto ndice de acidentes de automveis nas ruas e nas estradas, porm, segundo dados apresentados pela Polcia Rodoviria Federal (PRF), negligncia, imprudncia e impercia representavam, juntas, 90% das ocorrncias de acidentes nas estradas.

Nos ltimos anos, o Brasil vem apresentando dados inquietantes em relao ao nmero de motoristas sem a devida qualificao para dirigir.

No estado de Alagoas, por exemplo, s no primeiro semestre de 2016, mais de 5.300 pessoas foram flagradas dirigindo veculo sem a Carteira Nacional de Habilitao (CNH), de acordo com o Departamento Estadual de Trnsito (Detran). Em Belo Horizonte, foram quase 12 mil motoristas sem habilitao pelas ruas em 2014.

J em Braslia, um levantamento realizado pelo Detran-DF identificou que flagrantes de motoristas dirigindo sem CNH pelas ruas aumentaram 94% em 2015. No estado do Rio Grande do Sul, s no ano passado, foram identificados pelo Detran-RS, pelo menos 40 mil motoristas dirigindo de maneira ilegal.

Esses dados refletem a importncia do investimento em educao para capacitao do condutor. Em 2016, o BPTran (Batalho de Trnsito da Polcia Militar) identificou que pelo menos 15% dos imprevistos de trnsito em Campo Grande-MS envolveram motoristas sem habilitao, por exemplo. Por isso, essencial que todas as etapas do processo de aprendizado sejam respeitadas, desde a orientao terica at as aulas prticas.

  Última edição  
  Edição 109 - 27/05/2017 - Clique para ler  
2017 - Jornal Alto Taquaral - CG Propaganda